Empresas de TI dão suporte para crescimento da indústria

Uma vez restabelecida a economia interna, muitas indústrias estão investindo em novas unidades fabris como forma de consolidar posição no mercado e retomar o ritmo de crescimento favorável que existia até meados de 2008.

O Brasil, de modo geral, começa a tomar novo impulso – independentemente da acidez que ainda persiste nas negociações internacionais. As inovações tecnológicas continuam dando as cartas, obrigando executivos a avaliar o que realmente mudou em termos de prioridade.

É certo que hoje existe um novo padrão de normalidade dentro das empresas e os gerentes de TI são constantemente desafiados a fazer escolhas acertadas em termos de fornecedores, produtos, software e aplicativos.

Mas a crescente complexidade tecnológica exige altos investimentos em capacitação. Como, então, o gestor de TI de uma indústria conseguirá defender investimentos em capacitação de pessoal em uma atividade que não é “fim” para a empresa?

Com grande parte dos investimentos reservada prioritariamente aos processos produtivos, o gestor de TI terá grande dificuldade em manter sua equipe atualizada em tecnologias como segurança física e virtual, impressão, data center e gestão da rede de comunicação, por exemplo.

E mais: no outro lado da cadeia, o nível de exigência em relação a esses serviços vem aumentando. O novo ambiente de negócios exige cada vez mais tecnologias de ponta para manter a competitividade de qualquer empresa.

Nesse cenário, a terceirização de TI vem aumentando a passos largos.  Muitas empresas já provaram e comprovaram as vantagens de se concentrar mais nos negócios, reduzindo a folha de pagamento e delegando a gestão de TI e de serviços de infraestrutura para especialistas.

Não há mais lugar para amadorismo no novo cenário e as empresas de TI, cientes de seus desafios, investem cada vez mais em certificações para suas equipes de trabalho, processos e produtos.

É o caso da ISO 9001.  Desde a compra de produtos até a entrega de serviços, tudo é devidamente documentado e mapeado, passando por um rígido controle. Para o cliente, trata-se de uma garantia de entrega de serviços com melhor qualidade.

Grandes ou pequenas, fato é que as indústrias nacionais estão se dando conta da importância de terceirizar departamentos inteiros ou apenas alguns processos do universo tecnológico.

Entre os principais benefícios, destacam-se: redução de custos e maior controle dos gastos operacionais; aumento de foco nos negócios da companhia; maior acesso às transações internacionais, com aumento de participação no mercado estrangeiro; liberação de recursos internos – que podem ser mais bem empregados no crescimento; e, claro, a garantia de que os serviços serão realizados por profissionais qualificados, treinados e certificados nas mais recentes tecnologias e nos processos de qualidade.

A terceirização de TI também está intimamente relacionada à possibilidade de se extrair mais vantagens das novas tecnologias disponíveis, tanto em termos de hardware como de software – sem contar que em muitos casos não será mais necessário se preocupar com upgrades dispendiosos ou mesmo com redimensionamento do data center.

Da parte das empresas de TI, deverá haver rápida adaptação às exigências atuais para processos inteligentes, flexíveis e rápidos.

Além disso, é necessário aumentar o portfólio de serviços e produtos para entregar uma solução completa ao cliente.

O novo gestor de TI busca empresas que possam entregar uma solução “end-to-end”. Ele sabe que seu tempo deve ser dedicado a melhorar os processos de sua empresa e não admite mais continuar tratando com diversos fornecedores para montar uma solução.

Facebook Gerati Google Plus Gerati Blog Gerati
Acesse!